10 de nov de 2014

Até mais...


Olá, preciosos! Tudo bem com vocês?
Eu espero que sim. Não queria dar a notícia do título da postagem. É tão complicado dizer algo que não queremos falar, algo tão sério e triste. Não queria terminar dessa forma, desistir de uma coisa que demorei para torná-la realidade. Mas as vezes é preciso. Tudo tem um certo fim, sendo ele bom ou ruim. Hoje direi adeus para o Dreamland, adeus as partes boas e até as ruins, adeus aos minis escritos, as moderadoras tão adoráveis, adeus aos comentários e adeus a vocês. Deus, eu não queria falar assim, mas eu tenho que excluir o blog.
Não devo continuar com ele, estou decepcionando todos com a demora. Me sinto uma irresponsável, mas não estou vendo mais animação em postar em blogs, por isso peço milhões de desculpas por isso. Não estou entrando tanto para ver as visualizações ou comentários — que estão diminuindo a cada dia — apenas entro para outras coisas e para encontrar palavras certas para o “adeus”. Pensei por dois meses, pedi ajuda e opiniões de algumas pessoas que considero importantes e avisei algumas moderadoras. A maioria ainda não sabe da exclusão.
Não tenho muito mais o que dizer, porque não sei exatamente o que falar, apenas duas palavras tão clichês ditas por mim: obrigada e desculpe. Muitíssimo obrigada por tudo o que fizeram por mim e pelo blog, por receber as outras com todo o amor, pelas criticas boas e ruins. E muitas desculpas por decepcionar cada um com essa notícia.
Underworld não terá um final, mas sempre estarei escrevendo no Social Spirit =)



6 de nov de 2014

Right Now - Capítulo III

Fanfic / Fanfiction de Lily Collins - Right Now - Capítulo 4 - Capítulo III


Todos possuem demônios e receio que Zayn possua o inferno inteiro dentro de si.”

A sala era iluminada somente por algumas luzes coloridas. Alguns móveis estavam dispostos pelos cômodos, onde somente poucos jovens se encontravam sentados. A maioria dançava ao som das músicas que eu conhecia muito bem que o DJ colocava aleatoriamente.

Ele me conduziu pela multidão, sendo cumprimentado uma vez ou outra. Eu andava atrás dele observando tudo em minha volta, e uma vez ou outra fui obrigada a me desvencilhar de alguns braços masculinos que insistiam em serpentear pela minha cintura movendo a mesma no som da música.

– Ei, cara! – um garoto loiro que estava conversando com outros dois garotos acenou em nossa direção, e Zayn tratou de desviar caminho para chegar até lá. Encolhi-me subitamente a perceber que os três garotos me encaravam com curiosidade. – Pensei que estivesse solteiro.

– E estou. – Zayn sibilou rapidamente.

Observei desconfiada o liquido incolor que a maioria das pessoas segurava, buscando distingui as substâncias ali presentes. Cheguei rapidamente à conclusão de que seja o que for que tenha ali não é para mim. Nunca fui muito boa para bebidas, até porque não sou acostumada a beber, então sou bem capaz de depois de dois copos de qualquer bebida alcoólica já ficar fora do controle; sem raciocinar por conta própria.

– Posso te fazer companhia? – um tom rouco soou à minha esquerda e eu observei minuciosamente o homem que havia tirado minha atenção das coisas aleatórias da festa.

– Obrigada, mais já estou devidamente acompanhada. – murmurei forçando um sorriso.

– E que tipo de garoto vem a uma festa acompanhado de uma mulher tão linda e a abandona? – ele pronunciou se aproximando com um sorriso estampado em seu rosto.

Minha respiração acelerou com a sensação de dois braços fortes segurando minha cintura por trás, apertei meus olhos fechados enquanto seus dedos colocaram meus cabelos para o lado, seus lábios entrando em contato com o meu pescoço desnudo. Suas mãos acariciaram minhas costas e eu pude sentir ele ri contra meu pescoço enquanto seus lábios se aproximavam mais uma vez de meu pescoço. Ele chupou levemente, e em seguida, mordiscou minha orelha. Seu perfume estava a minha volta como uma bolha de proteção.

– Algum problema? – ele perguntou encarando o homem, soube que era Zayn assim que sua barba fez cócegas em minha bochecha esquerda quando ele se virou para encarar o homem.

Tive que conter um sorriso quando suas mãos entrelaçaram com as minhas assim que o homem se distanciou. O mesmo homem se aproximou de um grupo com garotos altos e fortes, que começaram a olhar subitamente para onde Zayn e eu nos encontrávamos ainda abraçados. Meu sorriso foi desaparecendo aos poucos quando percebi que eles falavam algo e logo depois nos encarava, como se eu tivesse feito algo de errado.

Eu não sabia exatamente do que se tratava. Mas, logo pude imaginar que o seu ódio estava de certa forma ligado à minha aproximação com Zayn.

Algo como You da One começou a tocar e eu observei algumas mulheres começarem a rebolar, dançando loucamente enquanto alguns homens a admiravam sem se quer ligar para suas atuais acompanhantes, logo uma rodinha de várias pessoas cercaram as mulheres e observaram elas dançarem sem censura. Movendo os quadris ao som da música, algumas até levantavam seus vestidos deixando a mostra suas peças intimas o que fazia com que os homens gritassem em forma de aprovação.

Sim, homens ainda pensam com a cabeça de baixo.

Apesar de eu não achar coerente uma vontade enorme de me misturar com elas e rebolar os meus quadris ao som da música me invadiu. E eu comecei a pensar na hipótese que não correria o risco em um momento de adrenalina levantar meu vestido pelo simples motivo de que eu não estava de vestido, e certamente não iria fazer nenhuma besteira já que meu sistema nervoso estava intacto sem nenhum vestígio de bebida alcoólica. Sim, eu certamente estava pensando na hipótese de ir dançar com elas.

A música acabou e o Dj colocou Price para toca, provavelmente querendo continuar a manter a festa animada e com que o show das meninas continuassem, para a alegria dos homens. Descartei a hipótese de continuar lá parada apenas observando as garotas se divertirem enquanto faziam o prazer extremo dos homens e comecei a andar em direção a pista de dança, onde o grupo de garotas dançava animadamente. No começo o meu primeiro plano era entra na próxima dança, porém não pude o colocar em ação quando uma garota loira que dançava junto com as outras se aproximou de mim e me puxou pela mão me juntando a elas, fazendo com que alguns olhares masculinos se voltassem para mim.   

Eu já estava lá, então à primeira coisa que eu comecei a fazer foi rebolar no ritmo da música junto com elas. Foi quando eu comecei a rebolar até o chão jogando alguns fios de cabelo para cima que vários olhares masculinos se viraram realmente em minha direção, assim que cheguei até o chão, tratei de empinar minha bunda para cima enquanto subia requebrando lentamente, e isso fez com que vários homens que estavam atrás de mim gritassem em forma de aprovação.

Assim que a música acabou tratei de andar em direção ao sofá onde Zayn se encontrava bebendo com seus amigos e algumas garotas. Sentei-me do seu lado e senti sua barba rala se tocar contra minha bochecha quando ele se aproximou para sussurrar em meu ouvido.

– Você tava gostosa pra caralho. – ele pronunciou baixinho me fazendo corar violentamente.

– Podia dizer apensar que eu estava bonita. – pronunciei baixinho e o senti ri contra meu ouvido.

– Mas você estava mais do que isso. – ele pronunciou e voltou seu olhar para um grupo de homens que entravam na sala. – Droga, temos que embora.

Ele não me deu tempo de assimilar nada, a velocidade com que ele me puxou para fora da mesa em direção à saída foi tanta que eu não tive tempo de se quer me atrever a perguntar o que estava acontecendo.

Antes de sair pela grande porta de ferro que era a saída mais próxima me atrevi a olhar rapidamente para trás, reconhecendo o rosto que eu com certeza nunca iria esquecer: os olhos enrugados, os lábios finos e avermelhados, a testa pequena e o cabelo raspado dando a ele uma aparência assustadora de militar. Foi ai que eu percebi do que estávamos fugindo; Do homem que eu havia dado uma tapa na cara. O homem que jurou que iria ficar de olho em mim e em Zayn.

A saída deu direto em um beco sujo, Zayn encostou-se a um tijolo frio, minhas mãos voaram em direção ao seu peito para me impedir que cair sobre ele. O único barulho que eu conseguia ouvir era o de nossas respirações pesadas. Zayn afastou o cabelo que caia em meu rosto e eu olhei para ele. Seu topete estava impecável, seus lábios entreabertos e a respiração saia rapidamente, os olhos brilhando enquanto ele olhava para mim.

– Droga. – ele murmurou baixinho. – Minha moto está do outro lado, com certeza eles devem estar nos esperando lá.

Eu não disse nada em resposta e então ele se empurrou da parede, me segurando quando eu cambaleie sem prestar atenção para trás.
Sua mão foi estendida em direção a minha aonde entrelaçou nossos dedos com uma facilidade extrema o que gerou uma batalha conflituosa dentro de mim. Ele segurou meu queixo me obrigando a encara-lo, eu estava mais vermelha do que o normal e minha respiração ainda estava acelerada, não pelo fato da corrida que demos até aqui, mas sim pela curta distancia que havia entre-nos.

Ele se inclinou para baixo, e seus lábios se aproximaram sutilmente de meu pescoço, beijando minha pele quente. Seus dedos apertaram meus quadris, e só percebi que meus olhos estavam fechados no momento em que abri assim que sua mão quente tocou meu rosto. Seus dedos vagaram para mais abaixo da minha cintura.

Coloquei minha mão em seus ombros. E hesitante me inclinei um pouco para cima. Sua respiração bateu contra meu rosto antes de seus lábios virem de encontro com os meus. Suas mãos novamente apertaram meus quadris e eu o senti mexendo seus lábios contra os meus, eles estavam quentes, o gosto de álcool invadiu minha boca. Não demorou mais que alguns segundos de nossos lábios juntos para que sua língua acariciasse meu lábio inferior, pedindo permissão para aprofundar o beijo. Eu não neguei. Eu jamais conseguiria negar algo que meu corpo ansiava em conhecer.

1 de nov de 2014

Begin Again - Eighth Chapter

P.O.V.'s Harry ON 
Eu: Exatamente o que você ouviu. - olhei pra baixo - eu sempre fui um idiota que não sabia amar, até hoje sou, mas estou tentando, por você, se quiser pode falar qualqu... - fui interrompido por ela
April: Não começa com essas coisas, você já me disse essas palavras mais de uma vez, você só se importou em me levar pra cama e depois sumir do mundo. Não aguenta responsabilidade quando eu te contei o que havia acontecido? 
Eu: Mas eu mudei April!
April: As pessoas não mudam, elas são falsas, ela mentem, mas mudar o jeito que você nasceu é impossível. 
Eu: Eu te amei April!
April: Eu também te amei, mas isso é passado, você não pode mudar as coisas.
Eu: Me desculpa por favor! - fui seguindo ela a caminho do seu quarto
April: Já aceitei muitas vezes suas desculpas.
Eu: April! - eu gritei quando ela fechou a porta na minha cara.

TRÊS SEMANAS DEPOIS

Eu estava no bar ainda na Austrália, se pudesse ficava aqui pro resto da vida, uma loira qualquer estava do meu lado, havia conhecido na balada de ontem e até agora ela estava grudada em mim.
- Qual é seu nome mesmo?
- Hanna.
- Olha, aqui meu telefone, eu vou pra casa, tomar um banho e pensar um pouco, depois a gente se fala. - entreguei o papelzinho a ela e deixei o dinheiro no balcão.
Saí caminhando meio torto por causa da bebida, entrei no carro e me lembrei de April, desde que ela conheceu aquele tal de Jason não saí de perto dele, ele não é boa influência, Niall me contou sobre sua reputação aqui. Cheguei "em casa'' e subi as escadas, entrei embaixo da água gelada, todos perceberam o clima de ódio entre April e eu, por isso faziam o máximo para não ficarmos no mesmo cômodo juntos.
- Olha só quem apareceu - disse Louis enquanto eu colocava minha camisa.
- Esses últimos dias não estão sendo os melhores.
- Dá pra perceber.
- Por acaso tem algum remédio pra ressaca?
- Infelizmente não, parei com essa vida, você também tinha parado, o que houve?
- Ela houve - eu disse me deitando na cama
- April?
- Sim, desde que eu fui embora ela mudou muito, ela tá fria comigo e rude.
- Mas tem razão né - disse Louis que já se abaixou para que eu não acertasse a almofada em sua cara
- Isso não foi legal. 
- Você pediu perdão?
- Sim, um milhão de vezes, ela sempre me xinga e bate a porta na cara.
- E é por causa disso que tá andando com aquelas vadias de novo.
- Pelo menos elas me dão valor. - eu disse me levantando e olhando pro chão. - eu me sinto um idiota
- Ei! Eu tive uma ideia! - ele começou a fazer uma dancinha e cantarolar que é genial 
- Tá, então fala logo!
- Eu tenho quase toda a certeza do mundo que ela gosta de você, porque não começa a namorar sério alguém?
- E aí ela vai ficar com ciúmes e se tocar que me ama! ISSO É GENIAL! - soltei um grito sem querer e notei que todos lá embaixo riram
- Exatamente, eu sou muito foda!
- Já sei até pra quem ligar! - dei um sorriso malicioso

P.O.V's Niall ON
Estávamos tomando o café da manhã, feito pelo senhor mestre Liam Payne.
- Isso tá bom demais! - eu comentei
- Melhor que minha comida Sr.Niall? - disse a empregada brincando.
- Não, é só pra incentivar ele a melhorar mesmo 
- Ei! - disse Liam
- Alguém quer ir comigo na praia? - comentou Zayn
- Quem falou em praia? - disse Harry no pé da escada
- Eu vou - disse April - Preciso sair um pouco desse inferno
- EI! Minha casa é muito boa viu?
- Nialler, você entendeu. - olhou seu celular - Zaz?
- O que? - ele disse bocejando de sono aquilo foi fofo
- Posso chamar o Jason? - April perguntou
- Claro, a praia não é minha.
- Zayn, eu vou também e vou levar a minha namorada. - disse Harry
Aquela palavra chocou a todos, Harry nunca havia tido uma namorada, uma coisa que durasse mais que uma semana.
- Namorada? - perguntou Liam
- Vai afogar de novo Liam - disse Bessie
- Isso é maldade. - ele disse rindo
- Sim, namorada, estou...digamos assim...levando minha vida á frente. - sorriu e sentou-se na mesa.
- Estou feliz por você Harry, pelo menos vai sair dessa vida. - eu disse
- Como se você tivesse saído - respondeu Harry
- Ah, mas eu sou uma exceção.
Toni ainda estava dormindo, e eu tinha certeza que ela ia ficar brava com o Zayn por não chama-la, eu também ficaria, afinal o jeito que ele é, quieto...cheio de segredos.
- Eu vou junto também - eu disse

NARRADOR ON
Se fosse uma história de contos de fada, provavelmente seus corações estariam sendo arrancados no momento e esmagados, nesse caso por alguém que não quer suas felicidade, na realidade será esmagada pelo amor. Será que ela estava certa? O amor não existe? Será que as esperanças daquele grupo de amigos havia acabado? As lágrimas, a única coisa que podiam soltar. Naquele momento eles viam a maldade e a dor em seus olhares. Dores, traições, era tudo que essa viagem traria para eles. Eles tinham medo de serem detidos pelo amor, mas a falsidade, a raiva, a ausência da felicidade os deixava assim. O egoísmo subiu a cabeça, eles pararam de acreditar no amor.

P.O.V's April ON

TRÊS HORAS DEPOIS
- Você não acha que fazer isso só vai piorar as coisas? - disse Toni
- Pior do que tá? - eu respondi
- Agora você tem uma carreira, depois que voltarmos pra casa você vai desfilar pela primeira vez! Pense nisso.
- Isso é pouco, não é maior que isso aqui dentro - coloquei a mão no meu peito
- April, pense! Por favor!
- Minha vida já ta uma bosta.
- Ah? Sério? Você vai ficar mais rica do que qualquer um que você olhar pelas ruas. Finalmente agora que conseguiu seu emprego vai fazer isso??
- Culpe o Styles.
- Se drogar não é necessário, muito menos roubar, você é louca?
- Sim eu sou. Essa vai ser a única coisa que vai me fazer esquecer do que houve.
- Você acredita nisso mesmo? Jason nem sabe o que fala, você pode muito bem ir a um psicólogo e se tratar.
- Viver numa aventura pode me tratar.
- Eu não acredito que vai fazer isso mesmo. - Toni disse com os olhos lacrimejando - você foi a única pessoa que me entendeu, a única que não virou minha amiga por causa do meu dinheiro e agora você vai por esse caminho? Isso não é justo, nem com você e nem comigo, por favor April, pensa um pouco.
- Eu sempre pensei e nunca deu em nada bom.
- Ah não? E eu? E os meninos e meninas, o fato de você não passar fome, eu sei o que você tem, você não sabe dar valor nem a si mesmo, isso é o problema, não é o Harry nem ninguém, é justamente você! Quando você pensar direito você vem falar comigo.
Ela saiu da praia e voltou pra casa do Niall, eu já estava decidida, eu iria entrar naquele grupinho do Jason, talvez ele fosse minha única opção no momento, talvez só aquilo pudesse melhorar minha vida...ou não.

Mais um pessoas <3
Espero que gostem
Kisses, TiaCup.